segunda-feira, 4 de outubro de 2010

As escutas e o Porto.

Desde há muito defendo que o Pinto da Costa se devia ter demitido da presidência do Porto. Estas escutas que saíram ontem não mudam nada. Defendo que se devia ter demitido ou a) quando o porto ganhou a liga dos campeões, ou b) quando as primeiras escutas saíram e se viu implicado no ressuscitar do apito dourado.

É bom que se vejam as coisas com alguma atenção ao pormenor e visão fria, clubismos à parte. Temos um processo aberto e arquivado3 vezes por falta de provas – ou seja, fundamentação de matéria de facto para a acusação – em que a terceira vez que foi aberto se deveu às declarações de uma puta vertidas em “livro” que viram-se, mais tarde, terem sido completamente enfabuladas; enfrenta agora a mesma processo-crime nos tribunais criminais por perjúrio, entre outros crimes. Processo esse aberto contra o presidente do Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa.

Duas conclusões podemos retirar disto: a primeira, é que não é normal um processo ser aberto três vezes para 3 vezes ser arquivado; e, aí, podemos ficar com a aura de suspeita contra o sistema processual penal e da ideia de que existem interesses – clubísticos ou outros – em tentar prejudicar o presidente de um clube ganhador; ou por outro lado, podemos ficar com essa mesma aura de suspeita contra o sistema processual penal por existirem interesses que arquivam um caso já aberto 3(!) vezes contra alguém – o que não é normal, mesmo num sistema com a presunção de inocência. Pela minha parte, talvez seja um pouco de ambos, e ambos com bem menos relevância do que as pessoas lhe dão.
A segunda conclusão que podemos retirar é que são já vezes demais – sempre absolvido ou não, com escutas ou não – que um presidente é envolvido em escândalos com árbitros. E aí, para bem do saneamento deste mundo porco e sujo que é o futebol, só a demissão restaria só restaria aos honrados – mesmo aqueles que sabem ser inocentes. A figura máxima de uma instituição que tanto significa em Portugal e no estrangeiro (admitamos) não se pode compadecer com a certeza da sua própria inocência. O Porto será sempre mais que ele e a ambição máxima dos seus dirigentes deve ser respeitá-lo. Daí a demissão que defendo e consideraria natural. Como podem ver, não sou fã do Pinto da Costa.

Porque isto prejudica o Porto e a sua estrutura, os seus adeptos. Para o adepto insulto fácil é o chamarem-nos de corruptos; é sentirmos essa injustiça quando vemos o porto a jogar bem, a ganhar bem, a dominar (com justiça) todo o panorama futebolístico (e não só…) de todo o século XXI até ao presente e, mesmo assim, ficarmos sempre com as nuvens da corrupção e dos resultados adulterados, dos árbitros comprados, a cada vitória. E eu percebo o adepto adversário, porque talvez sentisse o mesmo enquanto beufiquista bronco ou sportinguista “diferente” (leia-se: conas nato). E que não se negue: o portista adepto sente vergonha – acreditando ou não na inocência do pinto da costa, da veracidade das escutas, dos cortes cirúrgicos com que foram mandadas para o youtube e com a devassa nojenta e insuportável que é levar para a praça pública elementos secretos de um processo arquivado (secretos por isso mesmo, para impedir o julgamento público de um presumível inocente que por tal foi considerado pelo tribunal) – de tudo isto. Sente vergonha. Eu sinto vergonha porque esta merda era escusada. Nunca ouvi as escutas porque sinto que é desrespeitar o sistema processual penal e que toda a gente deve ter direito à sua privacidade: daí as escutas destruídas deverem ter sido.

Mas o facto é este: é uma vergonha, é vergonhoso. Para o porto, para os seus adeptos, para a figura presidencial brilhante que ali está à frente que fode com putas, manda caralhadas a torto e a direito (como homem do norte que se preze) e gosta demasiado do porto, demasiado para seu bem.

Fazia bem os sportinguistas e os benfiquistas admitirem que não há campeonatos, desde o penta, pelo menos, em que o porto não tenha sido um justo vencedor – aliás, uma das provas incriminatórias contra o porto era o corrompimento de um árbitro no jogo porto-estrela em que o porto, curiosamente, já era pontualmente campeão – e também considero, injustiças desportivas à parte (este ou aquele penalty mal assinalado ao longo da época, etc), que o Sporting e o benfica foram justos campeões quando o foram. O Benfica jogou quase sempre contra dez e teve sempre penalties marcados a seu favor, mas raios, não digam que não praticaram o melhor futebol na época passada.

Tal como o porto nas épocas em que ganhou. A Europa comprova que o porto não precisa de árbitros para ganhar; para chegar longe. Os resultados lá fora são a prova de que o clube está bem e recomenda-se, só pensa em ganhar, e tem tido platel e treinador para isso. Infelizmente, continuamos apenas a ser presididos por um presidente que, enquanto lá estiver, deixará sempre uma nuvem negra de suspeição e corrupção que, temo, irá perdurar no clube muitos, muitos anos após ele sair.

E isso terá sido a pior coisa que fez ao porto. Para mim, é insuportável sentir que todas as vitórias vão ser inquinadas pela boca fácil da corrupção, pelos outros adeptos. E embora todas sejam ditas por azia custa.

Daí pedir alguma sanidade para se admitir que – sinceramente. O porto ganha e joga bem. Não há aqui corrupção. Depois do apito dourado, essa merda são fábulas.

Podemos todos concordar com isso?

9 comentários:

Aurelio Estorninho disse...

mas defendes a demissão de um homem q foi ilibado de tudo pela justiça portuguesa?

Cláudio Kralj disse...

defendo a demissão sim. o princípio aqui e o mesmo do deputado que se demite, inocente ou não incoente, quando é aberto inquérito contra ele; ou o que levanta a imunidade parlamentar por crime menor, quando tal não era necessário. cargos de notoriedade em que se representa algo superior a nós não se podem coadunar com a nossa ideia particular de honra e de certeza de inocência. quem sofre é a instituição e o porto sofreu com essas suspeições.

Barnaby disse...

Eu acho que há duas questões muito importantes... uma é a justiça legal e outra a justiça moral.
Legalmente Pinto da Costa é inocente. Ponto final. Seja por nabice de quem o acusou, por inadmissão de provas por incompetência das forças policiais, melhores advogados ou até uns jeitinhos dos juízes (já agora, pra quem é supostamente tão corrupto e com tantos amigos juízes, não custa especular), a verdade é que o sr. Pintinho escapou relativamente incólume a todas as acusações. Fará isso dele um homem inocente? Só aos olhos da lei! E este "só" diz tudo...

Quem percebe um bocado de como isto funciona, sabe que ser inocente e ser absolvido são duas coisas que muitas vezes diferentes. Basta abrir uns jornais, ver uns documentários, usar um pouco a cabeça pra descobrir uma série de casos em que um gajo mais culpado que Judas foi absolvido devido a "pormenores técnicos" e advogados habilidosos (e vice versa também, há que dizê-lo).

Isto leva-nos ao outro ponto. A justiça moral, a da rua, do adepto, do gajo do café e do taxista... essa tá-se a cagar pra pormenores técnicos e artigos, validades e coisas do estilo... é mais pura e por isso, por vezes mais errada (e por vezes mais certa, também!), toma decisões em 5 minutos e não em anos! E pra essa justiça, as escutas servem de prova... para essas o que o sr. Pinto da Costa diz não engana ninguém, esses sabem que quem anda no futebol "mete dinheiro ao bolso" e acusa-os logo de terem "comissões". Com um manancial de provas como este, é óbvio que para estes (e tirando uns meninos de azul que andam por aí... os ingénuos) Pinto da Costa é culpadissímo! Os outros também devem molhar o bico, mas são uns meninos ao pé do "Papa"!

Este julgamento Pinto da Costa jamais ganhará. Por isso percebo o que o Cláudio quer dizes...

Cláudio Kralj disse...

exacto barnaby. isso é um ponto (diferenças de justiça e não menosprezar de nenhuma e binómio etre a absolvição e a verdadeira inocência) que a mim me parece muito claro.

Aurelio Estorninho disse...

será que não entendem q é isso q a maquina do benfas quer?
será q não percebem q tudo aquilo q se passa da world wide web é tudo orquestrado nos gabinetes do galinheiro da luz?
o que se passou foi em 2004...eles ainda falam nestes assuntos como se tivessem acontecido ontem, agora expliquem-me como é que escutas q foram consideradas ilegais acabam no you tube, e as escutas do socrates são mandadas destruir...

Barnaby disse...

Acredito piamente que a "maquina do benfas" tenha passado as escutas cá pra fora. Que as tenha publicado no youtube (como a "maquina dos andrades" fez com umas gravações dos túneis o ano passado, aliás) e até que as tenha surripiado, através de um adepto mais fervoroso, dum gabinete qualquer dum tribunal.
Agora, a "máquina do benfas" não obrigou o Pinto da Costa a dizer o que disse nas escutas, pois não? Logo a "máquina" apenas divulgou um facto, não o criou, logo não terá grandes culpas no cartório sobre o que é dito nas escutas... e no que é dito (não em quem mandou cá pra fora) é que está o "busílis" da questão.

Anónimo disse...

Ó claudio vai contar estórias ao caralho,

Miguel disse...

Aurelio Estorninho fala bem e o Barnaby dá a resposta que parece as virgens arrependidas do clube do regime. Não me venham com tretas que o porto é que gostava de dar fruta e mais não sei o quê e que as virgens nunca fizeram nada. Pois fiquem sabendo que muita fruta havia a ser distribuída aos árbitros (portugueses e estrangeiros) para beneficiar o Sporting e (veja-se lá bem) o Benfica (esse clube de virgens imaculadas), hipócritas é o que são esse do clube do regime. Mais não era só os grandes nem sequer só na primeira divisão que isso era o pão nosso de cada dia, e só veio a acabar com o Apito Dourado. Se o Pinto da Costa era melhor a fazer essas coisas, meu menino (mais mérito para ele), não me venham é dizer que os outro não faziam nada.Só não acabou foi os lugares na liga e os Ricardos Costas para fazer um jeitinho sempre que possível. Engraçado só o Porto e o seu presidente ter sido envolvido nesse caso quando todos ouvimos o LFV a escolher o arbitro para um jogo da taça, e só não à mais porque para o campeonato não era preciso, o Sr.João Rodrigues tratava disso. Sendo assim a única coisa a que nos faça desconfiar da justiça é o porquê só o porto e o seu grande presidente vê o seu nome envolvido num caso que se fosse serio era para acabar com o futebol português. E o Cláudio Kralj parece que quer ver o maior sonho dos benfas concretizado. Se eles não dão mérito as grandes vitorias é porque tem mau perder e não pelo sr. Jorge Nuno Pinto da Costa, pois eu se também tivesse mau perder falava do regime, e tu dizias "mas Salazar já morreu" e eu respondia-te "mas infelizmente o regime não", pois foi muito depois da sua morte que o governo perdoou a divida desse clube (ilegalmente)aceitando papel em branco. Mais recentemente até perderam a vergonha vindo apoiar publicamente o clube do regime e aparecendo na bancada presidencial muitos ministros e ex-ministros. Chega-se ao ridículo de pedir uma audiência ao MAI quando bastava dar-lhe uma palavrinha no estádio do regime ao intervalo na casa de banho privada do orelhas,a dar uma mija visto não faltar a um jogo do seu clube em casa...isto sim é ridículo, isso e dizer que o porto não teve mérito nenhum nestes últimos 30 anos.

Miguel disse...

Aurelio Estorninho fala bem e o Barnaby dá a resposta que parece as virgens arrependidas do clube do regime. Não me venham com tretas que o porto é que gostava de dar fruta e mais não sei o quê e que as virgens nunca fizeram nada. Pois fiquem sabendo que muita fruta havia a ser distribuída aos árbitros (portugueses e estrangeiros) para beneficiar o Sporting e (veja-se lá bem) o Benfica (esse clube de virgens imaculadas), hipócritas é o que são esse do clube do regime. Mais não era só os grandes nem sequer só na primeira divisão que isso era o pão nosso de cada dia, e só veio a acabar com o Apito Dourado. Se o Pinto da Costa era melhor a fazer essas coisas, meu menino (mais mérito para ele), não me venham é dizer que os outro não faziam nada.Só não acabou foi os lugares na liga e os Ricardos Costas para fazer um jeitinho sempre que possível. Engraçado só o Porto e o seu presidente ter sido envolvido nesse caso quando todos ouvimos o LFV a escolher o arbitro para um jogo da taça, e só não à mais porque para o campeonato não era preciso, o Sr.João Rodrigues tratava disso. Sendo assim a única coisa a que nos faça desconfiar da justiça é o porquê só o porto e o seu grande presidente vê o seu nome envolvido num caso que se fosse serio era para acabar com o futebol português. E o Cláudio Kralj parece que quer ver o maior sonho dos benfas concretizado. Se eles não dão mérito as grandes vitorias é porque tem mau perder e não pelo sr. Jorge Nuno Pinto da Costa, pois eu se também tivesse mau perder falava do regime, e tu dizias "mas Salazar já morreu" e eu respondia-te "mas infelizmente o regime não", pois foi muito depois da sua morte que o governo perdoou a divida desse clube (ilegalmente)aceitando papel em branco. Mais recentemente até perderam a vergonha vindo apoiar publicamente o clube do regime e aparecendo na bancada presidencial muitos ministros e ex-ministros. Chega-se ao ridículo de pedir uma audiência ao MAI quando bastava dar-lhe uma palavrinha no estádio do regime ao intervalo na casa de banho privada do orelhas,a dar uma mija visto não faltar a um jogo do seu clube em casa...isto sim é ridículo, isso e dizer que o porto não teve mérito nenhum nestes últimos 30 anos.

Site Meter