segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Uma nota de rodapé

A pobreza franciscana tornou-se o nosso modus operandi. Hoje a rapaziada até se esforçou, correu muito e tal mas bastou ver a diferença de discernimento a atacar entre o benfica e o Sporting para perceber que não é por acaso que estamos tão longe.

O primeiro golo começa dum pontapé ridículo do patricio, há um bom cruzamento para a área e o grimi, tadito, chega tarde. o segundo sai de um livre inexistente e o primeiro remate do benfica na segunda parte dá direito a ressalto e a golo. Interesa pouco falar no grimi entrar sequer em campo ou ainda se confundir a anedota maniche com um jogador de futebol. Temos um par de jogadores de jeito mas irregulares. Outros quantos irrelevantes e no essencial, como equipa, somos nada. Merecemos a derrota, que chegou com leveza e pobreza. Este Sporting é uma nota de rodapé pequenina. No campeonato e na própria história do clube.

4 comentários:

Barnaby disse...

Não vi o jogo, mas ouvi o relato desde a meia-hora de jogo e vi depois o resumo.
Pareceu-me uma vitória mais que justa e completamente inquestionável, é que até pra não haver pinga de dúvida jogámos com 10 durante 45 minutos e durante uns 20 minutos jogámos com um defesa com a cabeça partida. Foi mesmo com suor e sangue!!
O SCP parecia água a bater na rocha... lá atacava, atacava, atacava,... mas batia sempre na muralha!
Sem fio de jogo, sem jogadores, sem moral, sem objectivos, sem presidente,... a questão é: O que é que o Serge precisa fazer pra ser despedido? É que o homem não vai sair pelo pé dele...
Abraço!

Nalitzis Krpan disse...

é por aí que vez o que é uma equipa à deriva. o benfica vem de uma série de vitórias, está organizado e mesmo odiando o jasus xungas a verdade é que salvios, gaitans e afins sabem onde devem estar. e não é terem quatro vezes o orçamento que justifica. do Sporting houve entrega de alguns e pouco mais. As estatísticas equilibraram-se na primeira parte, nos remates e ataques, mas era sempre o mesmo, o Sporting tentava como podia, o benfica quando lá ia fazia-o de forma certinha. o desfecho foi previsível.

mas o que me atrofia como sprotinguista não é só isso. curto dos dérbis, ganhe ou perca dá sempre pica, o dia seguinte é sempre fixe ou chato porque o pessoal tem sempre piadas prontas. antes de cada dérbi já senti de tudo, receio, confiança, o que for. desta vez ia cheio de indiferença. e até perder assim, de forma simples mas clara, deixa só um encolher de ombros.

FoRNeiRo disse...

O mais estranho para quem acompanha e percebe minimamente de futebol é ver que não existe uma matriz clara no jogo do Sporting.
Como é possível aquele plantel treinar todos os dias em conjunto e não apresentar jogadas que o demonstrem? Seria normal haver automatismos, jogadas semelhantes ao longo do jogo, etc, e isso não acontece; parece ser tudo feito em cima do joelho.
O treinador é, obviamente, o primeiro a ser questionado, mas dado o que se vai vendo, os jogadores também contribuem, e de que maneira.
Basta juntar alguns amigos para fazer umas futeboladas de vez em quando e ao fim de pouco tempo começa a surgir um fio de jogo de acordo com as características de cada um, isto sem treinar sequer, e vão-me dizer que profissionais que jogam desde miúdos não o conseguem fazer?
Não me lixem...

Nalitzis Krpan disse...

Se isto fosse o caras-book punha-te um "gosto" nessa merda. é que as jogadas que saem bem no Sporting parecem fruto do acaso ou de um momento de inspiração de alguém. A equipa muda a todos os jogos, não se percebem uma data de opções, há gente bem abaixo do nível que devia mas acima de tudo há caos. um caos que se explica não tanto no jogo de ontem, onde o benfas estava melhor, mas que dá para ver estampado naqueles minutos no final do jogo com o guimarães, ou naquele frenético e ridículo empate em casa com a naval

Site Meter