sexta-feira, 24 de julho de 2009

O saque continua.


Primeiro a piada: "Príncipal adversário é o fc porto" - José Eduardo Bettencourt.


É verdade. E qalquer pessoa que tenha estado atento ao campeonato nacional nos últimos 4 anos sabe isto. Com excepção da maior parte dos jornalistas desportivos.


Agora o caso:
Ainda me lembro da fantochada da taça da liga. O Sporting foi o único dos grandes que levou a coisa a sério desde o início. E teve a sua paga. Hoje em dia não se pode presumir credibilidade no nosso futebol. Infelizmente, Ela tem de ser provada a priori. O benfica conquistou a taça da liga com a ajuda crucial de um dos árbitros mais mediocres do futebol nacional - e a concorrência neste campo é feroz. Muito bom amigo meu benfiquista foi capaz de dizer: "não estou orgulhoso desta vitória". E ouve até quem fosse mais longe: "não podemos apregoar honestidade e depois ganhar coisas assim. se fosse eu devolvia a taça".


Claro que nenhuma dessas pessoas era o João Gobern, do Record, esse cegueta vierista. Ainda me lembro dele no final do jogo a falar num programa de têbê, com os olhos meio revirados, todo doente, enraivecido, porque alguém teve o desplante de dizer a verdade sobre o que se passou em campo: foi um roubo. O passo seguinte, já esperava eu, era o tal Gobern ter começado a queixar-se de um canto mal assinalado num qualquer benfica-v.setubal de 2001/2002 - como é apanágio de muita gente.


Felizmente o Pedro Silva abriu o coração, revoltado e injustiçado, e repetiu alto e bom som quem era o ladrão. Foi punido, como seria de esperar. Mas ninguém lhe retira o par de tomates monumental, e o coração no sitio certo, apesar do comportamento excessivo.


Digo tudo isto para abordar a polémica que envolve a atribuição do título de juniores do ano passado. E vou ser relativametne rápido a contar a coisa. O meu Sporting não se pode ilibar de tudo. Mas os factos são simples: se não tivessem chegado alguns 50 elementos da trope de elite azeiteira da claque encarnada, o jogo teria decorrido normalmente. Esse dia marcou também o momento mais baixo, populista e idiota de Rui Costa em toda a sua vida no futebol. Atirar as culpas todas para cima do Sporting não passava pela cabeça de ninguém consciente. E ele nunca se retractou.


Hoje, sabemos pelos jornais que foi atribuida uma derrota por 3-0 às duas equipas, por culpa dos adeptos (e eu relembro os adeptos que apedrejeram e invadiram o campo, como uma autêntica horda de bárbaros, e os outros adeptos, inclusive famílias, que tiveram de fugir dali). Sabemos também que quem tomou a decisão, o líder do CD da Liga, já foi visto em convívios em Casas do Benfica. Haverá influência numa decisão que claramente pune muito mais o Sporting do que os outros? Sabemos o que pensar mas não o podemos afirmar com toda a certeza.


O que se deve ter em conta é que se há alguém com poder decisório, associado a uma das partes envolvida num determinado caso, o mais natural seria afastar-se. E aqui o que se defende em primeiro lugar é a própria pessoa, que, se tiver escrúpulos, não aceitaria tomar decisões nessas condições porque nunca, mas nunca, deixariam de ser suspeitas. O senhor Marques da Silva aceitou. Ele lá sabe o valor da sua honra.


O que eu acho, meus amigos, é que a putaria continua por aí. E parece cada vez mais barata.

1 comentário:

Pedro disse...

O que dizer desta situação? É escandaloso! Um gajo que é adepto do benfica dá de mão beijada um título ao clube do coração. O curioso disto é que boa parte dos (supostos) 6 milhões acham isto perfeitamente normal. Só me ocorre a palavra "Hipocrisia".

Mas vendo bem as coisas, estou a ser ingénuo, é que eles recentemente ganharam a taça da jola da forma que todos sabemos. E o que fizeram os seus dirigentes? Assobiaram para o lado e congratularam-se com aquela "gloriosa" vitória.

É o futebol que temos, em que muito se decide fora dos campos, nas secretárias de pessoas alegadamente idóneas.

Site Meter